Blog

Manchas brancas na pele: o que podem ser

Por: - Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948
Publicado em 15/04/2019 - Atualizado 25/04/2019

Notou o surgimento de manchas brancas na pele do bebê e não sabe o que fazer? Primeiramente, mantenha a calma e se informe sobre o assunto. Assim, não haverá motivos para se apavorar, não é mesmo?!

Acompanhe este artigo e descubra o que pode causar manchas brancas na pele, além de entender qual é o tratamento ideal para cuidar da pele do bebê. Vamos lá?

Manchas brancas na pele: o que pode ser?

Caso você tenha notado o aparecimento de manchas brancas na pele, mesmo que o bebê tenha poucos meses de vida, saiba que isso é um problema bastante comum, mas que necessita de tratamento e acompanhamento de um profissional.

As crianças possuem a pele bastante frágil, já que o órgão ainda está em pleno desenvolvimento. Isso acontece pelo fato da consistência da pele ser bem mais fina e ainda não ser protegida por pelos, como a pele dos adultos.

Além disso, a pele do bebê possui espaços na camada superficial, o que a torna muito mais permeável e suscetível a doenças, já que qualquer componente pode penetrá-la com facilidade.

De maneira geral, podemos dizer que as manchas brancas na pele aparecem em decorrência da ausência de melócitos ou da baixa produção de melanina.

Assim sendo, é possível que as manchas brancas apareçam em qualquer parte do corpo, desde as costas, braços, mãos, pernas e, até mesmo, no rosto. Entretanto, essa condição não está relacionada a um único motivo, pois engloba uma série de doenças e problemas de pele.

Problemas relacionados às manchas brancas na pele: tenha atenção

As manchas brancas na pele do bebê ou da criança podem surgir em decorrência de algumas causas distintas, como veremos a seguir.

Infecções fúngicas na pele

A infecção fúngica, também chamadas de micose, pode causar a formação de manchas brancas na camada mais externa da pele. A micose tende a surgir em épocas de temperaturas mais quentes e úmidas, além de aparecer com maior frequência em crianças com alterações hormonais ou que apresentam suor excessivo.

Quando isso acontece, a área do corpo afetada muda de cor, e a descoloração manifesta-se com pequenas e irregulares manchas brancas, que ocorrem em diversas partes do corpo, como no peito, nas costas, nos ombros e nos braços.

Para tratar a micose, alguns medicamentos antifúngicos são indicados pelo dermatopediatra, além do uso do protetor solar.

Nevo acrômico

Manchas brancas  bem localizadas e não se espalham para outras partes do corpo. Para fazer o diagnóstico precisa da avaliação de um dermatopediatra.

Pitiríase alba

Caracterizada por pequenas manchas brancas na pele que são limitadas à área do rosto, braços e pescoço, a pitiríase alba ocorre, na maioria das vezes, após uma exposição solar intensa. O problema é temporário e tende a acometer mais facilmente as crianças com idade entre seis e 12 anos.

A pitiríase alba afeta, principalmente, as peles secas e desidratadas, podendo causar coceiras intensas e desconfortáveis. Normalmente, as manchas se caracterizam pela forma arredondada e oval e podem permanecer na pele durante anos, caso não haja acompanhamento médico.

As manchas decorrentes da pitiríase alba podem desaparecer naturalmente. Entretanto, caso isso não aconteça, pomadas e hidratantes podem reduzir a inflamação, além do uso do protetor solar, que é indispensável.

Vitiligo

O vitiligo caracteriza-se pela presença de manchas acrômicas na pele, e sua causa ainda não é conhecida com clareza. Entretanto, alguns fenômenos autoimunes parecem estar associados à doença, já que o problema pode ser caracterizado por uma deficiência no sistema imunológico.

Ou seja, o que se sabe é que as lesões na pele se formam devido à diminuição ou ausência de melanócitos, que são as células responsáveis pela formação do pigmento melanina, que dá cor à pele. Além disso, é comum a correlação com alterações ou traumas emocionais que podem atuar como fatores de desencadeamento do vitiligo.

As manchas brancas podem surgir em qualquer lugar do corpo e apresentam formas irregulares, podendo ser grandes ou pequenas.

O tratamento para o vitiligo é bem específico, pois pode ser realizado por meio da repigmentação da pele, uso contínuo de protetor solar, alimentação saudável, além de outras medidas que amenizam o aspecto das manchas.

Deficiência nutricional

A deficiência de vitaminas (D e E) e cálcio também pode desencadear manchas brancas na pele da criança e do bebê.

Nesse caso, será necessário introduzir alimentos ricos em cálcio e aumentar o consumo de vegetais, além de aproveitar uma maior exposição ao sol, para estimular a absorção de vitamina D, nos horários recomendados (antes das 10h e após as 16h).

De qualquer forma, consulte um especialista no assunto para que a causa seja corretamente diagnosticada e o tratamento possa ser ainda mais específico, para cada caso. Além disso, outras causas podem estar relacionadas às manchas brancas na pele do bebê, e somente um especialista poderá emitir um diagnóstico seguro.

Leve a criança ao dermatopediatra

Por isso, sempre que surgir uma mancha na pele dos bebê ou da criança, consulte um dermatopediatra, para garantir o correto diagnóstico e tratamento das manchas brancas na pele.

Como vimos, as causas para o problema são inúmeras, assim como a melhor maneira de tratá-las, que podem ser diversas e dependerá de cada caso.

Mas não espere a criança desenvolver algum problema de pele para levá-la ao dermatopediatra. Experimente realizar consultas regulares, para prevenir possíveis doenças que possam vir a surgir no pequeno.

Quer saber mais sobre cuidados com a pele durante a infância? Acompanhe meus posts, também, no Facebook e Instagram.

Material escrito por:
Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948

A Dra. Marice Mello dedica-se à pediatria desde a graduação em medicina na UFSC. A médica é especialista em pediatria, pelo Hospital Infantil Joana de Gusmão, e tem especialização em dermatologia pediátrica, pela UFPR. É membro da Society Pediatric Dermatology, da Sociedade Latino-Americana de Dermatologia Pediátrica e da Sociedade Brasileira de Pediatria.   Ver Lattes

Voltar