Blog

O inverno chegou! Você sabe como proteger o bebê do frio?

Por: - Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948
Publicado em 07/06/2019

Saber como proteger o bebê do frio é importante não apenas para evitar que ele pegue um resfriado. A falta de cuidado para mantê-lo aquecido adequadamente pode desencadear alguns problemas dermatológicos. Mas isso tudo pode ser evitado, caso os pais e responsáveis sigam algumas medidas e orientações indispensáveis para cuidar da saúde do bebê, durante o inverno.

Ouça este conteúdo:

 

Por isso, preparamos um guia para proteger o seu bebê do frio, alertando sobre as principais doenças dermatológicas dessa época do ano.

Também criamos um passo a passo repleto de dicas valiosas para fortalecer a pele do seu pequeno durante o inverno, que naturalmente, tende a ficar mais fragilizada.

Fique por dentro e espere pelo inverno preparado:

Passo a passo de como proteger o bebê do frio

Normalmente, a temperatura mais baixa, junto com a umidade do ar também menor, tende a diminuir a transpiração corporal, deixando a pele cada vez mais seca.

Outro fator que pode prejudicar a pele do bebê durante o inverno é a temperatura mais quente da água do banho, já que remove a oleosidade natural da pele e diminui o manto lipídico que retém a umidade da pele.

Isso acontece tanto com a pele do corpo, quanto com a pele do rosto, que pode ficar mais esbranquiçada, em decorrência da desnaturação de proteínas. Por isso, algumas dicas são essenciais para dispor de um maior cuidado com a pele do bebê e evitar que fique ainda mais fragilizada. Confira:

1. Banhos quentes e demorados: evite-os!

Apesar de não parecer, aquecer demais a água para dar banho na criança é uma das atitudes que mais propiciam o ressecamento da pele.

Por isso, o recomendado é que a temperatura da água esteja morna e que o banho seja rápido. Além disso, certifique-se que a quantidade de sabonete utilizada seja a menor possível.

2. Hidrate, hidrate e hidrate

Cremes e loções hidratantes podem ser usados em crianças, sem problemas. Mas, como a pele delas ainda está em desenvolvimento, torna-se mais sensível aos componentes das fórmulas utilizadas nesses produtos. Por isso, certifique-se com o dermatopediatra sobre qual produto é o mais indicado para a pele de seu bebê.

3. Escolha bem o que for vestir no bebê

Roupas de lã sempre são as mais escolhidas para agasalhar o bebê no inverno e é possível utilizá-las sem nenhum problema. No entanto, é importante verificar que a peça não fique em contato direto com a pele da criança – tecidos sintéticos podem provocar irritações ou agravar esse quadro, caso a pele já esteja ressecada. Por isso, faça o seguinte: primeiro, vista o bebê com uma roupa de algodão e depois, coloque a blusa de lã por cima da proteção da pele.

4. Não “empacote” demais a criança

Uma cena comum, nessa época de baixas temperaturas, é ver os bebês enrolados, muitas vezes, em mais de um cobertor ou ainda vestidos com tantas roupas que até parecem “pacotinhos”.

Entenda que saber como proteger o bebê do frio não significa, exatamente, agasalhá-lo ao extremo, pois isso também pode ser prejudicial. Isso pode fazer com que a criança transpire muito e, consequentemente, possa desencadear o aparecimento de brotoejas.

Para evitar que isso aconteça, é importante saber como vesti-lo. Por exemplo, uma dica importante é observar quantas peças de roupa de inverno você está usando e ao vestir o bebê, certifique-se de colocar apenas uma peça a mais do que vestiu em si mesmo.

5. Cuide da alimentação e hidratação da criança

A alimentação também faz toda a diferença na hora de cuidar da pele. Dessa maneira, verifique se a dieta da criança comporta alimentos com fontes de vitaminas e minerais que melhoram o aspecto da pele e evitam o seu ressecamento. Por exemplo:

  • grãos;
  • frutas ricas em vitamina C, como laranja, tangerina, limão, morango, cereja
  • brócolis;
  • cenoura;
  • repolho;
  • castanhas, nozes e amêndoas.

Além disso, é importante aumentar o consumo de líquidos, principalmente de água, pois é fundamental manter a pele e o organismo sempre hidratados.

Embora seja normal sentir menos sede durante o inverno, ainda assim o ideal é fazer um esforço para cuidar da hidratação do corpo. Tente optar por chás de diversos sabores, pois assim a ingestão de líquido pode ser mais fácil para as crianças.

Como vimos, é fundamental adotar esses hábitos simples durante o inverno para proteger a pele da criança. Assim, é possível evitar que alguns problemas dermatológicos surjam, principalmente as dermatites.

Dermatites durante o inverno

Caso a pele não se mantenha devidamente hidratada durante o inverno, algumas doenças dermatológicas podem surgir. A dermatite, por exemplo, é um dos principais problemas que podem se manifestar, em baixas temperaturas. Conheça as dermatites mais comuns na infância:

Dermatite atópica

A dermatite atópica, por exemplo, é uma das doenças de pele mais comuns desta época do ano, onde os termômetros tendem a marcar temperaturas mais baixas. Assim, sintomas como a coceira também aparecem com maior facilidade, já que no frio, a pele fica mais suscetível a ressecamentos e desidratação.

Geralmente nos bebês, a dermatite atópica se inicia com áreas irritadas e ressecadas nas bochechas e ao redor da boca. Já em crianças maiores, as lesões estão sempre acompanhadas de coceira e se localizam, principalmente, nos braços e pernas.

Dermatite seborreica

A dermatite seborreica é outro tipo de dermatite que se desenvolve com certa frequência no inverno. O problema tende a acometer regiões como o couro cabeludo, pálpebras, orelhas, nariz e a virilha.

Em todo caso, o melhor que os pais podem fazer é levar a criança a um dermatopediatra para que o quadro seja avaliado. Às vezes, pode ser preciso medicá-la para controlar a doença. No entanto, certifique-se que somente um médico especializado pode prescrever qualquer medicamento. Além disso, um dermatopediatra pode orientar cada criança particularmente, segundo as individualidades de cada caso.

Compartilhe esse conteúdo com outros pais e ajude a cuidar da pele das crianças nesse inverno!

Baixe o “Guia para os pais”, que traz orientações sobre os principais problemas dermatológicos na infância. O download é grátis.

Material escrito por:
Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948

A Dra. Marice Mello dedica-se à pediatria desde a graduação em medicina na UFSC. A médica é especialista em pediatria, pelo Hospital Infantil Joana de Gusmão, e tem especialização em dermatologia pediátrica, pela UFPR. É membro da Society Pediatric Dermatology, da Sociedade Latino-Americana de Dermatologia Pediátrica e da Sociedade Brasileira de Pediatria.   Ver Lattes

Voltar