Carregando...

Blog

Alguns hábitos podem fazer mal à pele do bebê: saiba quais são eles

18/09/2017

A pele do bebê exige cuidados específicos. Ela atua como uma defesa contra bactérias e elementos irritantes e também trabalha na regulação da temperatura interna corporal. Funciona, inclusive, como uma ferramenta para a criança conhecer o mundo através do tato. Assim, enquanto você cuida da pele do pequeno, também está estimulando os sentidos da criança, o seu crescimento saudável e ainda constrói laços afetivos.

A epiderme dos bebês possui características diferente dos adultos. É de 20 a 30% mais fina, tem menos pelos, é mais propensa às alergias, irritações e ressecamentos. No bebê, as células que geram a coloração da pele têm menor atividade e as glândulas que produzem suor ainda estão imaturas. A criança enfrenta dificuldade para regular a temperatura corporal, pois tem pouca camada de gordura sob a pele.

Por estes fatores, a pele do bebê é bem mais sensível aos fatores externos como luz, temperatura e produtos, exigindo maior proteção.

Como cuidar da pele do bebê

Como é mais fina, a pele dos pequenos absorve muitas substâncias com facilidade. Portanto, é fundamental ter cuidado com o que entra em contato com ela para evitar alergias, irritações e ferimentos.

Também é muito importante fazer uso de produtos de higiene específicos para bebês e crianças.  A utilização de sabonetes com fórmulas agressivas ou banhos em excesso são prejudiciais porque diminuem a proteção contra bactérias.

Dessa forma, os banhos devem ser rápidos e realizados com produtos de PH neutro. A higienização deve focar nas áreas das fraldas, no pescoço, umbigo e axilas, pois são as regiões onde há maior proliferação de bactérias.

Deve-se evitar banhos muito quentes para não ressecar a pele e causar o aparecimento de brotoejas. O ideal é que a temperatura esteja em torno de 30 graus e o banho não exceda o tempo de 15 minutos.

A prevenção do câncer de pele deve ser feita desde cedo. Crianças com até 6 meses de idade não devem utilizar filtro solar para evitar alergias. Então, para proteger os pequenos é recomendado usar chapéus, roupas e evitar exposição ao sol, principalmente nos horários de “pico”. Entretanto, independente do momento do dia, a pele dos bebês não deve ser exposta diretamente ao sol. É muito importante manter hábitos de cuidado e ensinar a criança a se proteger desde pequena.

Hábitos que podem ser prejudiciais

Lavagem de roupas inadequada

Deve-se lavar as roupas dos bebês antes de usar pela primeira vez, preferencialmente, separadas das outras roupas da família. O ideal é usar sabão de coco líquido ou em pó, ou então, sabão específico para roupas de bebês. Não é recomendado usar amaciantes. Por conta do excesso de produtos químicos presentes em sua fórmula, os amaciantes deixam na roupa resíduos que podem irritar a pele dos pequenos.

Excesso de sabonete

O uso excessivo de produtos de higiene é prejudicial, pois diminui a proteção natural da pele e pode causar reações alérgicas.

Uso de roupas de lã

Quando for vestir a criança com peças de lã, o contato direto com a pele deve ser evitado. A textura do tecido e sua composição química podem gerar irritação ou alergia de contato. Além disso, a lã pode acabar acumulando poeira e ácaros, elementos que podem desencadear uma alergia respiratória.

Cremes usados pela mãe

Através do contato direto com a pele da mãe, a criança pode ficar exposta às substâncias presentes nos produtos utilizados por ela. O ideal é que a mãe use os cremes no período noturno, quando ficam menos tempo em contato com o bebê.

Problemas mais frequentes

Brotoejas e assaduras são os problemas de pele mais comuns nos bebês. Além destes, dermatite seborreica, dermatite atópica, dermatite de contato e hemangiomas são outras das condições frequentes em bebês.

As brotoejas consistem no entupimento das glândulas sudoríparas e ocorrem principalmente no calor. Em função disso se desenvolve uma inflamação que gera irritação na pele. Ela se manifesta como pequenas bolinhas vermelhas ou esbranquiçadas.

As assaduras ocorrem através do contato da pele do bebê com a urina e se concentram em lugares com dobras e que estão abafados. Para evitá-las, é necessário atenção na higiene, secar muito bem a criança após o banho e fazer uso de produtos indicados pelo médico.

Caso perceba qualquer reação na pele de seu filho, consulte um dermatopediatra para uma orientação adequada.

Voltar