Blog

Teste de alergia: quando levar a criança para fazer?

29/09/2018

O teste de alergia é um procedimento diagnóstico realizado na superfície da pele usando alérgenos suspeitos. O teste é indicado para crianças de dois anos em diante ou caso haja predominante evidência clínica sobre alguma reação alérgica. Também chamado de prick test, o exame busca identificar possíveis dermatites. Vejamos como se dá o seu funcionamento, assim como indicações e cuidados importantes.

Quem deve fazer o teste de alergia?

É importante que o teste seja realizado em crianças e adultos em casos que não é possível identificar a causa da alergia da pele. Assim, o especialista fará a devida investigação clínica dos alérgenos, caracterizados pela substância de origem natural, ambiental ou alimentar que desencadeiam supostas reações alérgicas. Dessa maneira, os principais alérgenos testados são:

 

  • insetos: pulgas, pernilongo e formiga;
  • inalantes: epitélio de cães e gatos, pólens de gramíneas, barata, ácaros da poeira, fungos do ar e penas;
  • alimentares: camarão, leite e frações (alfa-lactoalbumina, beta-lactoglobulina e caseína), clara de ovo, gema de ovo, soja, trigo, cacau, amendoim, milho, carne suína, carne bovina, carne de frango;

Como é realizado o teste?

O teste é feito por meio de puntura na região anterior do antebraço. Dessa maneira, primeiramente, realiza-se a assepsia do local, desinfetando-o. Após a limpeza, são colocadas pequenas gotas dos alérgenos, seguida de uma perfuração superficial na pele, por meio de um puntor. O teste é rápido e dura cerca de 15 minutos.

 

É importante que o teste cutâneo seja realizado em um local bem equipado, com o acompanhamento do especialista de confiança e materiais de emergência, caso seja necessário. Embora seja bastante raro, é possível que haja reações sistêmicas, nas quais são totalmente asseguradas pelo profissional que estará executando o procedimento.

E o resultado do teste de alergia?

Após o teste, o paciente voltará normalmente à sua rotina, prestando atenção à exposição ao sol e à água. Assim, serão realizadas duas leituras pelo especialista, uma após 48 horas e outra depois de 72 horas e/ou 96 horas. Sobre o resultado final, este pode ser verificado da seguinte forma:

  • Positivo muito forte (+++): significa eritema intenso, pápulas e vesículas confluentes, levando à formação de bolhas;
  • positivo forte (++): significa eritema, pápulas e vesículas, levando à pequenas bolhas;
  • positivo fraco (+): significa eritema e pápulas, levando à formação de pequenas placas e elevação;
  • duvidoso (?): significa leve eritema, levando à vermelhidão;
  • negativo (-): geralmente indica que não existe alergia.

É importante esclarecer que o resultado “positivo” dirá respeito a uma sensibilização do alérgeno, mas não necessariamente a uma alergia. Por isso, para a comprovação da alergia, o especialista irá levar outros pontos clínicos em análise.

Alergia alimentar

Caso o agente causador da alergia seja um alimento, sugere-se uma proposta de dieta de exclusão. Dessa forma, a comprovação do teste se dará por meio de uma provocação oral. Se o resultado for negativo, o paciente está ausente da alergia, caso mantenha-se positivo, dirá sobre a suposta alergia ou mesmo indicará a tolerância ao alimento.

 

Um outro teste chamado Prick to prick é uma variação do procedimento, realizado com o alimento in natura, como frutas e vegetais. Assim, o puntor colhe uma amostra do alimento e insere sobre a pele do paciente. Nesse caso, o tempo de resolução do exame leva cerca de 40 minutos.

 

Procure acompanhamento profissional

Caso você repare mudanças significativas na pele das crianças, procure um dermatologista que poderá indicar exames para investigar as causas e encaminhar para um imunologista. Os profissionais poderão avaliar a situação da criança, indicando o melhor tratamento.

Voltar