Blog

Banho de sol é com ou sem protetor solar?

Por: - Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948
Publicado em 13/02/2017 - Atualizado 07/02/2019

Desde que o bebê nasce, é recomendado aos pais que deem banhos de sol no(a) filho(a) para que o corpo produza vitamina D. O nutriente é responsável por regular a quantidade de cálcio e fósforo no organismo, e também favorece o crescimento. Mas será que esse banho de sol é com ou sem protetor solar?

Segundo o Consenso Brasileiro de Fotoproteção, ninguém deve se expor ao sol sem proteção solar, mesmo nos horários recomendados (antes das 10h e após as 16h) ou em dias nublados. Usar cremes ou loções que protejam a pele da radiação solar, roupas, chapéus e outros acessórios deve ser um hábito diário em qualquer idade. A exceção são os bebês com até seis meses de vida.

Dúvida sobre se o banho de sol é com ou sem protetor solar é comum

Em crianças com menos de seis meses não se deve (e nem se pode) passar protetor solar. Nessa fase da vida, é preciso recorrer a outras formas de proteção. Barreiras físicas (guarda-sol, roupas preferencialmente brancas e chapéu) que impeçam os raios de sol de incidirem sobre a pele do bebê costumam funcionar bem nessa situação.

A dúvida de quando o banho de sol é com ou sem protetor solar é comum entre os pais, ainda mais entre aqueles que possuem somente um filho. Depois dos seis meses, já é permitido utilizar no bebê o filtro solar. O certo é aplicar um produto que seja adequado à faixa etária, assim, reduz-se a chance de ocorrer alguma irritação na pele devido aos componentes da fórmula.

Um jeito simples de acertar na escolha do melhor filtro solar para o bebê é perguntar à dermatologista pediátrica qual produto é o mais indicado.

Como fica a produção de vitamina D com a proteção solar

O fator de proteção solar (FPS) não deve ser menor que 30. E mesmo que a criança esteja usando o filtro, não se preocupe, pois a produção de vitamina D não será prejudicada. Ela ainda vai ocorrer e o organismo não será afetado pela falta do nutriente.

De acordo com os estudos citados no Consenso, uma pessoa que mantém apenas as mãos e o rosto em contato com o sol, somente dois dias na semana, por cerca de 10 minutos cada dia, expõe-se o suficiente para que o organismo produza a vitamina D de que necessita. Assim, os pais não precisam se preocupar em tirar a roupa do bebê e colocá-lo para tomar sol todos os dias. Só têm de levar a criança para passear ou brincar ao ar livre algumas vezes por semana. Isso faz bem não só para o organismo, mas também para o desenvolvimento integral da criança.

Material escrito por:
Dermatologia pediátrica - CRM/SC 10414 | RQE 5948

A Dra. Marice Mello dedica-se à pediatria desde a graduação em medicina na UFSC. A médica é especialista em pediatria, pelo Hospital Infantil Joana de Gusmão, e tem especialização em dermatologia pediátrica, pela UFPR. É membro da Society Pediatric Dermatology, da Sociedade Latino-Americana de Dermatologia Pediátrica e da Sociedade Brasileira de Pediatria.   Ver Lattes

Voltar